Bruno Gaspar_ Cinantrop_ Preguiça 1

Como quem pede a um pai para nomear o filho preferido, convidámos Bruno Gaspar a escolher 10 destaques do CinAntrop. Uma espécie de director’s cut.

Um retrato da identidade cultural de Portugal e da lusofonia. Um olhar sobre o passado e o presente dos afectos em português. O primeiro CinAntrop – Festival Internacional de Cinema Etnográfico (programa completo aqui) é um acto de serviço público, afirma Bruno Gaspar, que não tem medo de salas vazias: “Para ter muito público fazia um festival de cinema pornográfico.”

Uma ideia para o futuro, Bruno. Por enquanto, estamos interessados no programa que decorre até domingo, 23 de Junho, em Leiria. Com um fio condutor, a água – o elemento que separa e une os povos da lusofonia. Que título dar a esta edição inaugural? Um manual de antropologia? Um desfile etnográfico? A cultura que se olha ao espelho? Nós no cinema? O mentor do CinAntrop escolhe a frase ‘filmes com gente lá dentro’. E diz-nos quais são os 10 momentos a não perder no festival:

1. Máscaras, de Noémia Delgado
(20 Jun – 19h – Teatro Miguel Franco)
Projecção da película de 16 milímetros captada em 1976 na região de Trás-os-Montes e que retrata a tradição dos caretos, no entrudo, cujas raízes remontam à presença celta na península ibérica.

2. Na mesa do DJ
(20 Jun – 24h – Bar Cão Danado)
O jornalista Manuel Leiria, editor da secção cultura do semanário Região de Leiria, veste a pele de DJ e passa música no bar Cão Danado (nas traseiras do Centro Comercial D. Dinis, em Leiria) a convite do CinAntrop. Na sua página do Facebook prometeu um alinhamento baseado em etno-chillout, agro-house e drum’n’pecuária.

3. Fantasia Lusitana, de João Canijo
(21 Jun – 15h – Teatro Miguel Franco)
Realizado em 2010, é um documentário construído a partir de imagens de arquivo da propaganda oficial do Estado Novo e de testemunhos de refugiados em Portugal durante a Segunda Guerra Mundial. Em contraponto, o paraíso neutral descrito pelo governo de Salazar e a realidade crua dos estrangeiros que viveram no nosso país durante o conflito.

4. Vilarinho das Furnas, de António Campos
(21 Jun – 19h – Teatro Miguel Franco)
Em 1971, o realizador leiriense regista os derradeiros 12 meses de vida na comunidade de Vilarinho das Furnas, no Minho, uma aldeia de características únicas que seria engolida pela subida das águas devido à construção de uma barragem no rio Homem.

5. Filmes de família
(diariamente – à noite – Bar Cão Danado)
O ponto de encontro nocturno dos CinAntropinos, entre 19 e 23 de Junho, é o bar Cão Danado. Diariamente, à noite, há projecção de filmes de família recolhidos pela organização do festival e que serão musicados por convidados especiais.

6. Caxinas, de José Manuel Sá
(22 Jun – 17h – Teatro Miguel Franco)
Vila-condense, mas com vida feita em Luanda, José Manuel Sá capta em 14 minutos o quotidiano da comunidade piscatória das Caxinas, no ano de 1977. Esta é a versão de 2009, sonorizada com música de Paula Praça e texto do escritor Valter Hugo Mãe.

7. Depois Liga para Cá, de Tiago Gonçalves
(22 Jun – 17h – Teatro Miguel Franco)
O filme predilecto de Bruno Gaspar em toda a programação do CinAntrop. Gravado em 2012, é um sintoma da nova vaga de emigração em Portugal. Os personagens centrais deste documentário acidental, como lhe chama o realizador, são o próprio Tiago Gonçalves e o avô, de quem se vai despedir antes de viajar para o estrangeiro.

8. Conferência “António Campos e o Cinema Etnográfico em Portugal”
(22 Jun – 18h – museu m|i|mo)
António Campos é a figura do festival CinAntrop. Há um troféu com o seu nome que salienta a importância que teve para o cinema português. O realizador leiriense foi dos primeiros a dedicar-se ao documentário antropológico. Parte da sua obra tem raízes na região de Leiria, nomeadamente ao retratar o rio Lis e as gentes da praia da Vieira.

9. O Homem da Câmara de Filmar, de Dziga Vertov
(22 Jun – 23h45 – Beat Club)
Projecção do filme de 1929, com 68 minutos, realizado pelo russo Dziga Vertov, pai da teoria do cinema verdade. As imagens do dia-a-dia de várias cidades russas, sobretudo Moscovo, com uma estética poética definida pela montagem e pelos planos escolhidos pelo realizador. Em simultâneo, o DJ Carlos Matos passa música.

10. Cerimónia de encerramento
(23 Jun – 16h – museu m|i|mo)
O último dia do CinAntrop acontece no museu m|i|mo com projecção de Cartas para Angola, de Coraci Ruiz e Júlio Matos, às 16 horas. A partir das 18 horas, acontece a cerimónia de encerramento, com entrega de prémios e sunset party.

Mais sobre o CinAntrop
O país convidado do CinAntrop é o Brasil, o realizador leiriense António Campos é a figura do festival, a programação reúne desde cinema etnográfico até registos de antropólogos, há documentários e filmes e a água é o fio condutor entre a maioria das obras. Este é um dos vértices de três projectos relacionados com a identidade portuguesa que Bruno Gaspar está a desenvolver: os outros são as reportagens Pela Estrada Fora e a marca SouvenirBox (máquinas de venda de recordações turísticas inspiradas na cultura portuguesa). O CinAntrop desloca-se para Lisboa a 28 e 29 de Junho (Cinema City Alvalade).

Exposições de fotografia
De 19 a 30 de Junho está patente no museu m|i|mo a exposição de fotografia “Imagens de Rodagens”, dedicada a António Campos e ao seu trabalho. No mesmo período e também no m|i|mo, a associação ecO promove uma segunda exposição de fotografia, de homenagem a António Campos, intitulada “Outras Gentes da Praia da Vieira”.

Master class
O realizador leiriense Bruno Carnide orienta um master class dedicado ao Super 8 mm que decorre no sábado, 22 de Junho, a partir das 11 horas, no museu m|i|mo. Três euros e limitado a 12 pessoas.

Onde ver filmes
No Teatro Miguel Franco, no museu m|i|mo, no bar Cão Danado e no Beat Club.

Bilhetes
No Teatro José Lúcio da Silva (também online) e nos restantes locais de exibição. Preços: 3,20 euros para o público em geral e 2,20 euros para estudantes. No m|i|mo as sessões são gratuitas, tal como acontece com os filmes de família exibidos no bar Cão Danado.

Na internet
facebook.com/cinantrop

Programa completo do Festival CinAntrop em http://preguicamagazine.com/2013/06/12/19-a-23-junho-cinantrop-traz-cinema-etnografico-leiria.

Texto de Cláudio Garcia
Fotografia de Ricardo Graça

(Publicado a 20 Junho 2013)