Les Ballets C De La B / Miguel Moreira e Romeu Runa THE OLD KING © Helena Gonçalves

Les Ballets C De La B / Miguel Moreira e Romeu Runa ‘The Old King’

Costuma dizer-se que o material tem sempre razão. No caso do festival de artes performativas Materiais Diversos, a máxima mantém-se intacta. Pela quinta edição consecutiva, e num contexto social e económico avesso à cultura, na sub-região do Médio Tejo, a celebração cresceu. Torres Novas, Alcanena, Minde, Espinheiro, Cartaxo e Lisboa estão prontas para diversificar.

“Esta edição só foi possível com esta dimensão devido às parcerias que temos com vários municípios, como os de Alcanena, Torres Novas e Cartaxo”, disse à Preguiça Magazine o director artístico do festival, Tiago Guedes. Isto para além dos parceiros associados, como o Teatro Virgínia de Torres Novas, a Culturgest e o Teatro São Luiz em Lisboa, assim como uma parceria com a Fundação Calouste Gulbenkian, com a qual fizeram em conjunto a exposição ‘6 + 6 Olhares Sobre a Indústria Têxtil de Minde’.

Entre outros apoios, a descentralização foi possível, não por teimosia ou por estratégia, mas simplesmente porque houve vontade no início. “Foi um conjunto de forças entre o Município de Alcanena e a Associação Materiais Diversos, que decidiu montar um projecto de artes performativas, não numa grande cidade, mas na região do Médio Tejo, no meio do Parque Natural da Serra d’Aire e Candeeiros. Um evento que conciliasse o que se faz localmente, e que se cruzasse com projectos que se fazem a nível nacional e internacional”, esclareceu Tiago Guedes.

Mas não é por ser mais deslocado que o público não deixa de acorrer. Segundo o director artístico do festival, existem três tipos de público: o público local, que inclui pessoas que colaboram também no evento, alojando os artistas, sendo voluntários no festival ou no bar do festival. Depois há o público nacional, que é aquele que vem porque conhece os artistas, mais ligado às artes performativas, alguns deles pessoas do meio, e depois há o público internacional, esse sim, composto por profissionais: directores de teatros, de festivais, que vêm cá para descobrir o que os jovens artistas portugueses andam a fazer.

Com especial enfoque na área da dança, a Associação Cultural Materiais Diversos tem como principal função incentivar a investigação e a experimentação artísticas, e sensibilizar o público em geral para as artes performativas. Tiago Guedes nasceu em Minde é um coreógrafo e bailarino português, e licenciou-se em Dança, na Escola Superior da Dança de Lisboa.

Programação detalhada: http://www.materiaisdiversos.com/
Facebook: https://www.facebook.com/pages/Materiais-Diversos/120850496776

Texto de Pedro Miguel
Fotografias de Helena Gonçalves e Tiago Pereira
(Publicado a 12 Setembro 2013)