Hair stylist, hair dresser, hair designer, visagista… os termos surgiram para destacar os tradicionais cabeleireiros e seus executantes daqueles que vêem mais além, que arriscam, desenham e criam tendências. Não fizemos nenhum estudo de mercado, mas arriscamos dizer que Leiria será certamente uma das cidades do país onde existem mais cabeleireiros e talvez por isso haja alguns muito bem-sucedidos que entrevistámos para este artigo. Uma coisa têm em comum: vêem arte no que fazem.

Cristina Dias

Cristina Dias

Cristina Dias: “Sempre tive facilidade em captar um desenho”

Aos quatro anos debruçou-se sobre o berço do irmão, de tesoura na mão e, zás, cortou-lhe os caracóis. A mãe desmaiou, o pai (cabeleireiro de profissão) aprovou. Não queria ser cabeleireira e ainda hoje recusa a designação porque vê no que faz mais do que, simplesmente, cortar cabelos. Diz que sempre teve facilidade em captar um desenho e aplicar-lhe a sua técnica. O espelho é a tela e a cliente é o objecto que tem de ficar perfeito no enquadramento. Queria ir para as belas-artes, mas deram-lhe tesouras em vez de pincéis. Hoje agradece por isso. Considera que cortar cabelos é uma forma de ter a sua arte na rua. Não usa farda, não lava cabeças nem faz trabalhos técnicos. No espaço Cristina Dias não há sequer calha de lavagem nem pentes. Só há tesoura e mãos, ela e o/a cliente, muita conversa e uma dose reforçada de sensibilidade para entender quem está diante do espelho e poder responder acertadamente às suas expectativas, realçando-lhe os melhores atributos.

josé ribeiro

José Ribeiro

José Ribeiro: “Não tenho porta aberta ao público”

Já penteou algumas das mais conhecidas personalidades da TV, foi cabeleireiro em desfiles de moda pelo mundo fora, deu nome a requintados salões, fez um percurso reconhecido e premiado enquanto cabeleireiro, mas decidiu mudar de rumo. Hoje dedica-se quase em exclusivo à formação, que assina sob o nome de Cubo by José Ribeiro e nem sequer tem porta aberta ao público, apesar de estar quase sempre no pequeno salão, no Terreiro, onde atende “apenas os amigos”. É como formador que se tem deslocado a diversas escolas de formação e a eventos promovidos pelas marcas de produtos para cabeleireiros, estando por estes dias a preparar uma especialização que terá lugar na Tecnitalentos, em Leiria. José Ribeiro estudou Arte e Design e vê nos cabelos a mesma função de uma tela. Considera que “há muita coisa de formação tradicional e obrigatória para cabeleireiros que já não se usa” e, apesar de reconhecer que “há muita teoria por detrás da criatividade”, procura sempre um bocadinho de liberdade no que faz, assim como no surf, no skate, no snowboard ou na caça submarina, que assume como grandes paixões.

Vasco Santos

Vasco Santos

Vasco Santos: “Um formador activo é tanto melhor quanto mais pratica”

Começou aos 18 anos e nunca mais parou. Vasco Santos é o rosto da Tosquia, há cerca de um ano com novo espaço na Rua Machado dos Santos. O seu percurso é marcado por muitas formações, competições e prémios. Hoje é formador de algumas das mais conceituadas empresas e marcas de cosmética, mas entende que passar tempo no salão, no atendimento e a praticar é crucial para o seu sucesso. “Um formador activo é tanto melhor quanto mais pratica”. Na Tosquia. o cliente é servido em modo menu, que implica sempre uma avaliação prévia, aconselhamento de imagem, além da lavagem, corte e brushing. Tudo com produtos das melhores marcas e ainda dicas para manter o penteado em casa. Na Tosquia há ainda espaço para formações quinzenais, workshops e estúdio fotográfico, onde se registam as melhores criações da Tosquia. Para Vasco Santos, estas são orientações importantes para marcar pela diferença e “não ser mais um cabeleireiro de esquina”. Acompanham Vasco Santos na Tosquia: Regina Alves, Joana Oliveira e Anita Ferraria.

Dani

Dany

Dany: “Leiria é muito de imagem”

Dany é daquelas pessoas a quem dava muito jeito que o dia tivesse 48 horas. É o profissional mais requisitado na Glamour Hairstyle & Spa, em Leiria, todos os dias tem agenda cheia e lista de espera e até já tem agendamentos feitos para o próximo Verão. É cabeleireiro “de forma mais académica há dez anos”. Queria ser arquitecto, mas apaixonou-se pelos cabelos. Prefere pentear mulheres, diz que gosta de as mudar. Explica que quando olha para uma cliente, imagina como gostaria de a ver se ela fosse sua namorada e depois é só dar asas à imaginação e transformar. Pelo vistos, a técnica resulta e muito bem. Dany sabe que é especial: a concorrida agenda comprova-o, mas a simplicidade não lhe permite grandes justificações. Diz apenas que antes da Glamour fez um retiro de seis meses e quando voltou, percebeu que ainda tinha força no mercado e que tinha fidelizado muitas clientes. Além disso considera que “Leiria é muito de imagem”. A restante equipa é composta por Carla Monteiro, Carina Jesus, Elena Curia, Carina Esperança e Marta Francisco. A Glamour Hairstyle & Spa oferece ainda serviços de estética, massagem, jet bronze, maquilhagem, pedicure, manicure e comercializa algumas peças de vestuário e bijuteria originais de três importantes marcas italianas.

Texto de Paula Lagoa
Fotografias de Ricardo Graça
(Publicado a 14 Novembro 2013)