Rui_Costa_preguica (2)

Entramos e sentamo-nos. Pedimos uma bebida e ao som de um rock ‘n’ roll começamos a conversar, sobre cinema, claro está. Este mês falei com Rui Costa, músico de alma e coração e defensor dos direitos dos animais que, entre ensaios e concertos de Silence 4 e o tempo que dedica a ajudar animais de rua, não hesitou em “dar-me” um bocadinho do seu tempo e dizer que sim a esta nossa conversa.

1. Qual foi o último filme que viste? Recomendas?
O último filme que (re)vi foi O Pai Tirano, de António Lopes Ribeiro, um dos meus filmes portugueses preferidos de sempre.

2. O teu top 3 filmes
Esta é muito complicada! Não necessariamente por qualquer ordem, vou “disparar” de memória alguns para o ar:
Naked Lunch (O Festim Nu), de David Cronenberg, baseado num romance de William S. Burroughs; The Elephant Man (O Homem Elefante), de David Lynch; Um Longo Domingo de Noivado e O Fabuloso Destino de Amélie Poulain, ambos de Jean-Pierre Jeunet; Blade Runner, de Ridley Scott; Amarcord, de Federico Fellini; Cinema Paraíso, de Giuseppe Tornatore; The Royal Tenenbaums, de Wes Anderson; As Asas do Desejo, de Wim Wenders, e todos os filmes de Charlie Chaplin. 

3. O teu top 3 realizadores
Charlie Chaplin, David Cronenberg, Jean-Pierre Jeunet e ainda faltam aqui muitos outros que adoro!

4. Um actor e/ou actriz preferido(a)?
Um actor, o Daniel Day-Lewis. Uma actriz, a Natalie Portman, que me conquistou desde Léon, o Profissional.

5. Um clássico do cinema que andes sempre a adiar?
Não me lembro de nenhum que ande a adiar!

6. O que te leva a ver um filme? O realizador? A premissa? O elenco? Tudo isto junto? Ou nada disto?
Tudo isto junto!

7. Que filme viste tantas vezes, ao ponto de saberes as falas de cor?
Um Longo Domingo de Noivado, de Jean-Pierre Jeunet.

8. Qual o filme da tua infância?
Todos os filmes de Charlie Chaplin.

9. Um momento cinematográfico do qual te lembras recorrentemente? 
Uma cena muito simples de The Royal Tenenbaums, em que a personagem interpretada por Gwyneth Paltrow sai de um autocarro ao som de uma canção cantada por Nico (“These Days”, de Jackson Browne).

10. Sei que nem sempre é fácil de admitir, mas… choras a ver cinema? Um momento de ir às lágrimas?
Choro a ver cinema, sou um lamechas! A última cena de Cinema Paraíso, de Giuseppe Tornatore. A fantástica sequência de beijos!

11. Se fosses uma personagem de cinema, qual serias e porquê?
A personagem de Gene Kelly em Singin’ in the Rain, só para ter aquelas “asas” nos pés. O sapateado e a dança sempre me fascinaram.

12. Com que personagem do mundo do cinema gostavas de ter uma conversa de café?
Há uma personagem do mundo da escrita que foi levada para o cinema e sempre me fascinou: a personagem da Máquina do Tempo, de H. G. Wells. Acho que seria bastante interessante conversar com este senhor, ainda por cima o livro foi escrito no séc. XIX.

13. Melhor banda sonora de sempre?
A do filme Amarcord, de Federico Fellini, composta por Nino Rota.

14. Quem eleges como O compositor de bandas sonoras?
Nino Rota.

15. Se pudesses escolher um filme para criar uma banda sonora alternativa, qual seria? Porquê?
Beginners, de Mike Mills, porque adorei o filme e é uma boa desculpa para falar dele.

Texto de Catarina Mamede
Ilustração de Rui Cardoso
(Publicado a 1 Maio 2014)