Piscinas de São Pedro Moel_20Tomem o vosso Memofante, abram o baú e vasculhem nas pastas mais recônditas do vosso Pentium III. É para recordar, seus velhos. Lembram-se das piscinas de São Pedro de Moel, do Snoobar, da Hot Rio? Eu lembro-me.

Onde dançámos descompassados ao som de martelinhos efémeros de Verão, amparados numa taxa de alcoolemia de apagar elefantes. Onde namoros se perderam, casamentos começaram e divórcios litigiosos arrancaram com movimentos demasiado perto do bailante do lado. Porque o sexo oposto parecia sempre mais bonito, eram o raio das luzes ou a falta de discernimento de um piloto automático invisual. Onde rapámos um frio de rachar, cheios de pose, cheios de estilo, à varanda a ver o mar, a tentarmos parecer mais interessantes do que realmente éramos. Era mesmo do caraças e agora é assim (fotogaleria).

Piscinas de São Pedro Moel_29 Piscinas de São Pedro Moel_13 Piscinas de São Pedro Moel_10

Festas, festinhas, festões, tipo sardinhas enlatadas a estremecer em uníssono ao vibrar da batida de um grave, grave para a saúde dos tímpanos. Pum pum pum ti titititi pum. Que bebedeiras do piorio. No tempo em que aguentávamos sair da pista directamente para o sofrimento de ressacar na areia, com a pipoca a fritar sob o suor maléfico de uma noite de excessos, e rezar para que a miúda que estava na toalha do lado não tivesse um bigode maior do que o nosso.

Ele foi bares com cenas equestres, música ao vivo, bifes. Foi mesmo uma cena em grande. E as piscinas?!! Quem é que não verteu uma pinguinha na cueca ao espreitar para a água do cimo da última prancha? E para impressionar ou não ser gozado, saltar, todo borradinho, com o coração a mil. Nada que um chapão à moda antiga não apazigue.

Piscinas de São Pedro Moel_9

Pois é, o antro desses Verões de loucura e glamour é neste momento um dinossauro esventrado a morrer na praia, cheio de caruncho, memórias e possibilidades.

Não interessa em que imbróglio burocrático se embrulhou, de quem é a culpa, ou o que podia ter sido feito, se é muito caro ou se é extremamente caro. Importa, sim, não deixar em ruínas uma infra-estrutura daquelas, devoluta, a poluir uma das melhores praias da nossa região. Digo eu, que até nem gostava muito daquilo. Fará se gostasse.

Texto e fotografias de Ricardo Graça
(Publicado a 22 Maio 2014)