Casa na Hintze Ribeiro_2

Leiria para Totós é a informação que faltava, mas provavelmente nunca vais precisar. A cábula para quem julga que Rodrigues Lobo era o vilão da história dos Três Porquinhos. Aqui recorda-se o nome esquecido na placa, o edifício em ruínas, a estátua coberta com lingerie na semana académica. É possível que estes textos venham a ser úteis, se algum dia existir a edição Leiria do Trivial Pursuit. Fora isso, não estamos a ver.

A arquitectura é mais do que pedra sobre pedra e os chineses até têm um nome para isto, chamam-lhe feng shui. Não há como ignorar a diferença entre as Torres do Aleixo e o Aleixo das Torres, mas o espaço age sobre a pessoa e há espaços que são especiais, tal como as pessoas.

Para conhecer um lugar especial em Leiria, desta vez vamos até junto da ponte Hintze Ribeiro espreitar o interior de um edifício com mais de cem anos. Um imóvel que puxa o bitaite de qualquer treinador de bancada, tenha mais ou menos jeito para a freitas lobice e poucos ou nenhuns conhecimentos de planeamento urbano. Toda a gente tem algo a dizer sobre um prédio desocupado, em especial se pertence a terceiros e fica nas imediações da mais recente travessia no centro da cidade, a ponte pedonal El Rei D. Dinis, inaugurada em Agosto de 2013.

Casa Na Hintze Ribeiro_8 Casa Na Hintze Ribeiro_3 Casa Na Hintze Ribeiro_2

Pousada, restaurante, salão de chá, discoteca, galeria comercial, casa da cultura, museu, centro associativo… Parece que tudo, ou quase tudo, ficaria bem debaixo de um tecto sobre o rio, em pleno percurso Polis, três pisos com vista frontal para o Castelo e relvado onde passear o gato. O rio é o rio, mesmo maltratado, e uma casa em cima do rio é uma casa em cima do rio.

Os proprietários deste potencial por realizar são os herdeiros de Emídio Oliveira Faria. A construção remonta provavelmente ao último período do século XIX, com o objectivo de instalar um moinho e aproveitar a força motriz da água – há um ramal que atravessa o imóvel. De acordo com Acácio de Sousa, antigo responsável pelo Arquivo Distrital de Leiria, no mesmo troço é possível observar vestígios de outras azenhas, algumas de raiz medieval.

Casa Na Hintze Ribeiro_6 Casa Na Hintze Ribeiro_5 Casa Na Hintze Ribeiro_7

Da infra-estrutura utilizada na produção de farinhas junto à ponte Hintze Ribeiro não resta nada, no entanto. A actividade prosseguiu até final da década de 60 ou princípio da década de 70 do século passado. Depois a empresa Fetal ocupou o edifício temporariamente e mais tarde o espaço acabou arrendado pela Edmar para formação profissional.

Neste momento não tem uso e não existe qualquer projecto para o local.

Quanto ao empresário Emídio Oliveira Faria, nome de rua no Souto da Carpalhosa, acabou por ficar ligado à Sival, da qual se tornou sócio em 1946. Dois anos mais tarde garantiu o controlo exclusivo da empresa, que até hoje se mantém na família. A unidade localizada nas Várzeas começou por fabricar gessos para construção civil e indústria cerâmica, acrescentando a área dos plásticos em 1962.

Texto de Cláudio Garcia
Fotografias de Ricardo Graça
(Publicado a 6 Novembro 2014)