Sandrine Vieira_Insta Leiria_9

Isto de ver o mundo aos quadradinhos já não se aplica só a quem está preso. A coisa ganhou outra vida com o Instagram e são cada vez mais as pessoas formatadas para registar, em fotografia, aquele quadrado perfeito. Sandrine Vieira, artista leiriense, aderiu à moda há mais de um ano e agora mostra o resultado.

#Instaleiria é o nome da exposição que revela Leiria pela lente do telefone desta designer e artista plástica, que pouco tempo depois de começar a instagramar reparou que, sem querer, “fotografava essencialmente a cidade”. “Foi uma brincadeira que me levou a descobrir pormenores que quase sugerem uma cidade dentro da própria cidade”, explica.

#Instaleiria resume-se, portanto, a um conjunto de 80 imagens captadas de forma livre, solta, sem planeamento e como a própria aplicação sugere, num registo instantâneo e de total improviso. 80 quadrados de 17 x 17 cm feitos apenas com recurso à câmara do telefone e às ferramentas de edição do Instagram.

A exposição pretende “mostrar Leiria de outra forma”, através do olho de alguém que reconhece ter “a mania de observar as coisas e perder tempo a pensar sobre elas”. Para ver há animais, paisagens, pessoas, reflexos, texturas e poesia.

É verdade: as fotografias expostas são acompanhadas por poemas da autoria de Márcio Lopes, que assina como M. L. Continentino e que se inspirou nas imagens para criar versos.

Há muito que Márcio e Sandrine trocam likes no Facebook. Ele dá gostos às fotos dela, ela retribui nos textos dele e assim acontece este casamento entre fotografias e poesia que, como explica o autor, “apesar de muitos poemas terem sido feitos a partir destas fotografias, eles não são uma legenda linear dessas imagens. Reservamos ao público a liberdade de associar os versos às imagens que entender”.

#Instaleiria inaugura sábado, 28 de Março, às 16 horas no m|i|mo – Museu da Imagem em Movimento, onde ficará patente até dia 21 de Maio.

Texto de Paula Lagoa
Fotografias de Ricardo Graça
(Publicado a 26 Março 2015)