Lilia (8)

Provavelmente, as senhoras que lêem este magazine, usam algo criado pela Lília Felizardo e não sabem. Entre padrões nos estampados e outros desenhos que tais, a artista leiriense desenha, entre outras marcas, para o segmento feminino da Zara.

Meteu-se a jeito, colocou o seu portfólio online, alguém reparou no seu trabalho e de repente estava a realizar o seu sonho de menina. Marcas mundiais, como as do grupo Inditex, fazem parte da carteira de clientes.

Como se trata de marcas grandes, a ideia vem pré-definida, com as cores e um esboço inicial. A partir daí, a designer coloca a sua interpretação, com ideias que vai buscar a tudo a que a rodeia.

Desenho de Lília Felizardo

Desenho de Lília Felizardo.

 

O processo criativo é muito tradicional. A partir do desenho, ou aguarela, e como dizia o outro, a artista sonha e a obra nasce. “Neste momento a indústria está muito virada para o desenho vectorial, vão buscar coisas à internet, e já está! Eu orgulho-me imenso de meter um cunho pessoal em tudo o que faço”, esclarece ao nosso magazine.

O futuro – também ele por enquanto só em projecto de sonho – passa por aprender mais, continuar a desenhar estampados como faz actualmente, e criar uma marca própria. Quanto aos seus desenhos, Lília gosta de quase tudo quanto é traço escandinavo, de preferência minimal.

Já viu amigas a usar estampados desenhados por ela, e as próprias nem sabiam que tinha sido a Lília Felizardo a criar. Actualmente a viver a norte, em Famalicão, a criadora começou a sonhar na Gândara dos Olivais, e agora espalha a magia no vestuário feminino.

Texto de Pedro Miguel
Fotografias de Ricardo Graça
(Publicado a 16 Abril 2015)