Quando se junta um grupo de jovens, entre os 18 e os 23 anos, para situações de provocação ou manifestações, está mesmo a ver-se o que aí vem: o caos está armado. Estes não estão para brincadeiras, juram mesmo a pés juntos que “o objectivo é lançar o CAOS em Leiria!”. Contudo, aqui troca-se o lançamento de pedras por exposições, as palavras de ordem dão lugar a performances ou workshops. O objectivo é agitar e provocar, mas em bom.

Há quem se dedique à arquitectura, à ilustração ou ao design e há quem prefira a engenharia, a economia ou a saúde. Contudo, há algo que une os jovens que fazem parte da CAOS: a amizade e o gosto pelas artes. A ideia surgiu por considerarem que em Leiria “ainda não existia nenhuma associação cultural que se propusesse a criar relação entre os diferentes artistas de diferentes tipos de arte, e que em conjunto com eles desenvolvesse iniciativas que sensibilizassem a comunidade leiriense para a riqueza artística e cultural que existe na nossa cidade”.

Assim, o objectivo desta associação, com sede na Quinta do Rei, nos Pousos, é “lançar o CAOS em Leiria através da interacção entre os diferentes artistas; é criar oportunidades para que diversas manifestações artísticas interajam e que dessa fusão e discussão de ideias (a que chamamos CAOS) possam surgir momentos criativos, originais e dinâmicos, capazes de induzir mudanças na forma como as pessoas em Leiria vêem a arte e a valorizam”.

A associação, que iniciou a actividade no dia 23 de Maio, e tem como padrinhos o escultor Abílio Febra e o jornalista Francisco Pedro, pretende promover desde eventos de performance e exposições, que levam à fusão entre diferentes artistas e servem para mostrar o seu trabalho à comunidade, bem como workshops que contribuem para a formação destas ligações interdisciplinares. Então e qual é o CAOS do momento? “É a provocação. Provocação do público e provocação dos artistas para estimular a desinibição na partilha e fusão da sua arte entre si. O próximo CAOS será a confirmação deste novo ciclo criativo na região de Leiria.”

Apesar de recente, esta associação também tem algo a dizer quando se fala do tema do momento. Não, não é o facto de o Jorge Jesus ter atravessado a Segunda Circular para o outro lado, nem a Manuela Moura Guedes ter saltado borda fora da Barca do Inferno. São coisas de segunda divisão, quando o assunto é Leiria, Capital Europeia da Cultura em 2027. A CAOS afirma: “Leiria, apesar de ser uma cidade pequena, revela ter grande potencial artístico a todos os níveis. Indo desde a qualidade e devoção demonstrada pelas companhias de dança, de teatro, pelas filarmónicas, ranchos e escolas de música, até aos artistas de referência e outros menos conhecidos, também de grande valor. Colocando tudo isto na balança podemos afirmar que ‘Sim! Leiria, Capital Europeia da Cultura!’.” O único senão é “a falta de mecanismos e apoios que permitam criar oportunidades para que quem sabe trabalhar a cultura a possa partilhar com o povo leiriense”.

Daqui espera-se tudo, principalmente o CAOS.

CAOS
Urbanização Quinta do Rei, Lote 27
Rua Amália Rodrigues – 2410-236 Leiria
Tel: 915 258 944
geral.caos@gmail.com
www.acaos.pt
Facebook

Texto de Joana Areia
Fotografia de CAOS
(Publicado a 11 Junho 2015)