Texto
Eduardo Luís

14 Janeiro 2016

É frequente encontrar hoaxs (notícias ou boatos falsos) pelas redes sociais. O último foi avistado no final do ano no Facebook, onde os utilizadores partilharam ou inseriram na sua timeline informações a dizer que o que lá colocam é exclusivamente deles e que podem até processar o Facebook se este abusar dos dados.

Meus caros, isto é tanga! Não acreditem em tudo o que vêem. Não são vocês que fazem as vossas regras. Não são vocês que decidem ou deixam de decidir o que o Facebook faz com a vossa informação. Não é um post desses que vos protege do que quer que seja.

As regras são definidas pelo Facebook e vocês aceitam-nas a partir do momento em que se registam, fazem login e partilham lá informação – sejam fotos, desabafos, o que for. Desenganem-se se acham que têm algum poder sobre essa informação.

O problema é que ninguém lê o Concordo com os termos de utilização porque está escrito em advogadês e é preciso tirar um dia de férias só para ler aquilo de alto a baixo.

Seja no Facebook, seja em qualquer outra rede social ou plataforma online, quem define as regras do jogo não são vocês. Terão que ler os termos de utilização para saber ao certo quem pode fazer o quê com a vossa informação.

Além dos ditos hoaxs, existe outra praga: aqueles posts que também vemos frequentemente, do género:
“Por cada partilha deste artigo, doamos 1€ a crianças do Quénia”.

Ou ainda o apelo aos likes para… salvar crianças.
Acham que por trás de Facebook existe algo como isto?

Questionem mais o que vêem e o que lêem. Não sejam enganados e não partilhem informação falsa.

Transcrição do último hoax sobre os vossos direitos no Facebook:

“Hoje, 2 de Janeiro de 2016, em resposta às novas directrizes do Facebook e, em particular na decisão de usar ou não o Facebook após este dia, nos termos dos artigos L.111, 112 e 113 do código de propriedade intelectual, estou anunciando que os meus direitos estão ligados a todos os meus dados pessoais (desenhos, pinturas, fotos, textos, música, lista não exaustiva) publicado no meu perfil. Eu proíbo o Facebook, e também funcionários, alunos, agentes e outro pessoal sob a direcção do Facebook de divulgar, copiar, distribuir, transmitir ou tomar quaisquer outras providências contra mim com base neste perfil e/ou seu conteúdo. Para uso comercial ou outro do exposto é necessário o meu consentimento por escrito em todos os momentos. O conteúdo do meu perfil contém informações privadas. A violação da minha privacidade é punida pela lei (UCC 1-1-1-103 308 308 e o estatuto de Roma). Facebook agora é uma entidade de capital aberta. Todos os membros são convidados a colocar um aviso deste tipo, ou se preferir, você pode copiar e colar esta versão. Se você não publicou esta declaração pelo menos uma vez, você permite tacitamente a utilização de elementos como as suas fotos, bem como as informações contidas na actualização”.