Até 21 de Outubro, no Covil da Preguiça, António Cova e o colectivo Fulo HD apresentam a exposição Famous People Jackets, colecção privada pertencente a Peter Champalimaud Salgado, em trânsito pela Europa. E a Preguiça apresenta-a também nesta página, versão completa, com os textos e fotos originais, a pensar nas pessoas que preferem não apreciar estas coisas ao vivo. Portugal, e em particular Leiria, têm a oportunidade de visionar a colecção de casacos pertencentes a várias personalidades marcantes do século XX. A oportunidade de ver ao vivo peças de Serge Gainsbourg, Josef Staline, Heinrich Himmler, entre outros. Perderam a inauguração? É ver o vídeo neste link.

1Casaco Heinrich Himmler
Comprado no mercado negro, este casaco do general nazi Heinrich Himmler pertenceu à colecção privada do primeiro presidente da Câmara de Azeitão, o francês António de Oliveira Saint Lazare. Esta peça valiosa de histórico interesse foi utilizada por Himmler nas noites em que a sua esposa escovava o cabelo de baixo para cima em movimentos perpetuantes. O general ficava a olhar incrédulo e passava suas mãos sobre o casaco que vestia, massajando-o e acariciando-o suavemente como que a abraçar-se a ele próprio. Ele era um homem sozinho. Foi só por isso que Peter Champalimaud Salgado adquiriu esta peça. Não foi uma peça muito cara para a carteira de Peter, mas mesmo assim, tem um significado muito especial para ele. Na escola pensavam que ele era judeu, porque uma vez Peter estava a jogar às cartas com o seu amigo Joe Berardo e passou um rapaz que ouviu o Peter a dizer: “Agora jogas tu e a seguir jogo eu…”. O rapaz que ia a passar ouvia muito mal e percebeu que ele estava a dizer que era judeu. Peter nunca mais se esqueceu. Mais tarde Peter comprou a peça que faz parelha com este lindo casaco e que se encontra junto ao mesmo. O lindo urso de peluche foi adquirido por Peter e pertenceu também a Heinrich Himmler. Durante 765 noites, Himmler dormiu abraçado a ele, era um homem muito acriançado e adorava companhia. Como a mulher dele era assexuada, o mesmo fazia sexo com o lindo urso de peluche. Quando Peter Champalimaud soube desta curiosidade, não perdeu tempo em arrebatar esta peça de arte no famoso leilão anual de Alcácer do Sal, na Turquia.
2Casaco Bruce Springsteen
Esta peça foi adquirida em Manhattan corria o ano de 1982. Peter, ainda jovem, arrebata este casaco pela quantia de 123.235.000 dólares americanos, no famoso leilão anual da prestigiada casa Augustus American Dream. Bruce Springsteen usou este casaco um dia após o seu casamento e o mesmo ficou celebrizado pela famosa fotografia retirada junto ao Austin Martim do cantor. Fabricado em Toronto, este casaco em pele de bisonte fez sucesso na década de oitenta por ser considerado uma peça vintage. Passados vinte anos Bruce Springsteen ainda telefonou a Peter Champalimaud Salgado e ofereceu-lhe 243.440.000 dólares na tentativa de recuperar o casaco, mas Peter disse-lhe o seguinte: “Bruce, you’ll never see the coat. Your coat was born to run!”. Depois desligou-lhe o telefone na cara e ainda conseguiu ouvir o Bruce Springsteen a chorar do outro lado do telefone.
3Casaco Carlos Santana
Peça de elevado valor simbólico que durante década e meia pertenceu ao pai do famoso guitarrista Carlos Santana. No dia da morte do seu pai, Santana decidiu pendurar este casaco envolto por uma moldura na sala de jantar da sua mansão na Flórida. Disse aos seus filhos que ficaria ali pendurado para todo o sempre e que aquele casaco seria um símbolo familiar, motivo de orgulho para as gerações vindouras. Em 1975 a sua famosa mansão foi assaltada pelos não menos famosos irmãos Dalton e o casaco acabou por ser vendido a Jessy James que mais tarde foi enforcado numa palmeira em Washington MC. Quando a polícia chegou ao local, Jessy já estava com o tronco nu e o casaco já não se encontrava. Parecia mesmo impressionante aquele cenário dantesco. Santana, quando soube da ocorrência, encontrou-se com Peter Champalimaud Salgado no parque de campismo de Aljustrel, de forma a não “dar nas vistas” por causa dos paparazzi italianos. Na sua rulote de 32 metros de comprimento, Carlos Santana pediu carinhosamente a Peter que fizesse das tripas coração e que pagasse o que fosse preciso a um detective privado de forma a recuperar o casaco. Peter contratou o Zé Gato e agora o famoso casaco encontra-se aqui presente, fazendo parte desta colecção privada do curador. Carlos Santana nunca mais disse nada a Peter, porque entretanto esqueceu-se do casaco depois de fumar uma ganza com Bob Dylan. Este casaco encontra-se avaliado em 2.436.232.00 euros e mesmo assim… Peter não pretende desfazer-se do mesmo.
4Casaco Che Guevarra
Símbolo da resistência argentina, Che Guevarra usou esta peça em meados dos anos 50, estando presente em quase todas as fotos captadas ao líder revolucionário narcisista pela lente do seu tio Ernesto de La Serna. Este casaco que na década de 40 era castanho, foi mandado tingir de verde em Singapura pelo herdeiro mais velho (cabeça de casal) de Che Guevarra, Octávio Guevarra. Octávio é grande amigo de Peter Champalimaud Salgado e foi recentemente que o curador adquiriu esta peça pela quantia de 45.000 chavos. O ano passado Peter foi à Festa do Avante com o casaco vestido e ninguém o reconheceu, ainda bem. Este casaco vale muito mais dinheiro do que a boina que eternizou o revolucionário naturalizado cubano. Boinas há muitas, casacos como este nem por isso.
5Casaco James Dean
Casaco em pele de búfalo, pintado de amarelo após a morte do jovem actor James Dean. Foi esta peça que a jovem promessa de Hollywood vestiu no dia do seu funeral, ou melhor, vestiram-lhe, porque ele já não era capaz. Dez anos depois, o seu túmulo foi vandalizado e os saqueadores despiram o defunto, ficando o mesmo todo nu e ainda por cima em considerado estado de decomposição. Esta peça é a prova da durabilidade da pele e da qualidade de fabrico destes casacos. Existem relatos de que a pele de búfalo utilizada no fabrico deste casaco foi utilizada também para revestir as múmias no antigo Egipto, devido à sua capacidade de revestir e preservar corpos mortos expostos a intempéries e a catástrofes naturais. É uma merda mesmo este duro drama histórico, mas Peter permaneceu imparcial a tudo e decidiu, dentro da sua humilde paixão pela sétima arte, adquirir esta peça pela quantia de 7.500 libras, já com a lavagem a seco incluída. Os saqueadores da sepultura de James Dean foram denunciados por Peter à Polícia Justiciária e assim foi feita finalmente justiça e as fãs de James Dean já reconheceram publicamente a importância de todo este processo que envolveu o fatídico casaco. O famoso casaco amarelo de James Dean.
6Casaco Josef Stalin
Peça em fazenda aveludada fabricada pela costureira Ketevan Geladze, mãe do líder soviético Josef Stalin. Este sobretudo para homem é provavelmente das peças com mais simbolismo de toda a colecção Famous People Jackets. A forma como foi construído, a delicadeza de uma mãe nos finais do século XIX, o complexo de Édipo presente na situação de um filho que tenta desconstruir um país com um casaco construído pela mãe, o estado de conservação, tudo neste casaco tem um simbolismo impróprio só mesmo presente no vestuário de Lady Gaga. Esta obra de arte foi adquirida por Peter Champalimaud Salgado no controverso leilão realizado em Antuérpia. Ficou para a história a cena de pancadaria entre os seguranças de Peter e o filho em terceiro grau de Josef Stalin. O Ranhov Stalin queria a todo o custo fazer regressar o casaco a casa da falecida avó em quarto grau, mas Peter, com o seu estatuto de famoso curador e com as suas capacidades financeiras, permitiu que um dos seus seguranças partisse os braços a Ranhov Stalin e ele não conseguiu licitar o casaco, pois não conseguia meter o dedo no ar. Ainda bem, porque assim todos podemos olhar para a beleza e imaculidade desta peça única.
7Casaco Winston Churchill
Foi com este casaco que Winston Churchill subiu ao palco do teatro de Bucareste Ocidental Frontal Theatre Diuth para receber das mãos do seu compatriota Duque de Marlborough o Prémio Nobel da Literatura pelo seu romance Memórias de Guerra – Os soldados que vi morrer com o meu monóculo a 200 kms de distância. O pormenor que ressalta logo à partida ao olharmos para este exemplar é a particularidade dos seus botões revestidos a folha de ouro. Cada botão está avaliado em 250.000 libras, imagine agora por quanto Peter Champalimaud Salgado arrebatou este belíssimo exemplar. Como é que adivinhou?!… Foi isso mesmo: 2.345.323.034.450 de libras estrelinhas! Esse valor foi todo revertido para uma campanha de solidariedade para com as crianças de sangue azul esfomeadas de todo o Reino Unido. Existe um movimento em Inglaterra para obrigar a inclusão do estudo das obras completas de Peter Champalimaud Salgado nos manuais escolares e respectivo programa educativo. Uma honra para Portugal.
8Casaco Alfredo Marceneiro
Este exemplar foi comprado ainda em vida por Alfredo Marceneiro. Peter Champalimaud Salgado viu o casaco pela primeira vez quando o fadista o envergou no programa da televisão estatal A visita da Cornélia. Peter, curioso em relação à cor do casaco, efectuou apostas milionárias com os seus amigos diante do televisor com imagem a preto e branco, tentando decifrar de que cor seria o casaco. Uns diziam que era azul, outros que era vermelho, mas Peter sempre achou que era castanho e branco. Foi só por isso que Peter decidiu adquirir esta peça, pelo facto de ter acertado na sua cor. Um dia decidiu encontrar-se com Alfredo Marceneiro e ofereceu-lhe uma gargantilha de diamantes em troca pelo casaco. Hoje em dia ninguém sabe do paradeiro dessa gargantilha. Peter chegou a arrepender-se do negócio, mas no fundo todos sabemos que valeu bem a pena, basta olhar para o esplendoroso exemplar fabricado pelas tecedeiras de Alfeizeirão, as mesmas que fazem os bolos.
9Casaco Steven Seagal
Casaco usado pelo consagrado actor Steven Seagal na estreia do seu filme Hard to Kill. Este casaco foi oferecido pelo próprio a Peter Champalimaud Salgado, em troca de serviços de segurança privada. Esta peça é a prova de que Steven Seagal é um indivíduo bastante friorento, pois foi visto com o casaco num bar de Albufeira em pleno Agosto. Provavelmente estava embriagado e esqueceu-se que o tinha vestido ou então sentiu que assim passava mais despercebido… tudo isto fruto da constante perseguição por parte dos paparazzi italianos. Não há muito mais a relatar em relação a este casaco a não ser que é muito bonito e que quando estava completamente abotoado, o Steven não conseguia levantar as pernas para dar pontapés. Mas como ele não ganhava a vida a jogar futebol, também não se preocupava muito. Isto foi dito por Steven a Peter numa noite de copos. Os dois fartaram-se de rir.
10Casaco General Spínola
Casaco bordado a ouro encontrado pelo famoso arqueólogo Faria de Andrade nas escavações da obra do Túnel do Marquês no Porto. Este achado foi limpo e entregue ao Museu de Arte Sacra de Matosinhos. Peter Champalimaud Salgado ao visitar o museu ficou irradiado com a beleza do casaco e propôs ao presidente do museu a troca de uma estatueta em bronze do início do século XXI pelo casaco. Mais tarde, Peter veio a descobrir que esta peça pertenceu ao famoso general Spínola aquando das suas incursões por África Minha, o célebre filme da década de oitenta. O general aparece ao fundo numa das cenas, foram poucos os que repararam. Existe uma fotografia do general com o casaco vestido e com um dos seus pés em cima de um leão morto. O general disse que foi ele quem matou o leão, mas a imprensa estrangeira afirma que o leão morreu de velhice. Peter quando soube da estória ainda ficou mais impressionado e disse para si mesmo que nunca venderia o casaco, fosse porque valor fosse. É de louvar este gesto por parte de Peter Champalimaud Salgado.11Casaco Freddie Mercury
“Peça surrealista avant-gard de retoques aveludados com resquícios policromáticos de uma só cor”. Foi assim que o crítico de arte vestuária Champ Heliseu descreveu esta peça na magazine de moda La Mode C´est Inifinitife. Este casaco foi oferecido por Freddie Mercury à sua namorada portuguesa transsexual La Bele Dominique corria o ano de mil novecentos e oitenta e sete, mais precisamente. Peter Champalimaud Salgado encontrava-se numa noite em Lisboa com o seu amigo de longa nata Artur Bonaparte. Pediu para este o levar a uma boite no Cais de Sodré. Estava Peter longe de imaginar que, nessa mesma noite, encontraria um dos casacos mais valiosos de toda a sua colecção. Quando Bele Dominique afirma que a peça que envergava tinha pertencido ao seu amante Freddie Mercury, Peter larga imediatamente 30 notas de 5 contos e coloca as mesmas no fio dental de Dominique. O transsexual desvia-se e obriga-o a colocar as notas na sua cueca com os dentes e Peter Cahmpalimaud Salgado não recusou. Aqui está a prova da paixão deste curador pela arte e em particular por figurinos de excelência. Peter levou o casaco e quando chegou a casa lavou os dentes e não contou a ninguém o que se tinha passado naquela noite. Continua a ser um mistério a aquisição deste belíssimo casaco.
12Casaco Serge Gainsbourg
Aproxime-se desta peça de arte e respire o odor de toda uma vivência estimulante e transgressiva. Por este casaco deslizaram as mãos de Juliette Gréco, Françoise Hardy, France Gall, Brigitte Bardot, Jacques Dutronc, Catherine Deneuve, Alain Chamfort, Alain Bashung, Anna Karina, Isabelle Adjani, Vanessa Paradis, as da sua esposa Jane Birkin e ainda da sua filha Charlotte Gainsbourg. Foi das peças mais difíceis de arrebatar por Peter Champalimaud Salgado. Foi no leilão anual da casa La Vhinac Qui Vous Parhiet que Peter deslargou da sua carteira o que tinha e o que não tinha. Mas valeu bem a pena. Curiosamente Gainsbourg privou com Peter no ano de 1976 na sua casa de praia na Jamaica. Os dois conheceram-se num concerto de jazz da banda do Eric Clinton, amigo em comum de ambos, passe a redundância. Peter já estava alcoolizado quando Gainsbourg lhe pediu um cigarro, depois foram dançar os dois para a pista de dança, enquanto Peter olhava para ele e pensava para com os seus botões: “Esse casaco que vestes será meu daqui a uns anos, meu grande cunhon!”. E assim foi, aqui está a prova para quem teima em não acreditar nesta estória verídica. Delicie-se a visionar esta bela obra de arte.
13Casaco Elton John
Esta peça de vestuário tigresse é a mais cobiçada de toda a colecção de Peter Champalimaud Salgado. Foi durante o ano de 1977 que Elton John usou este casaco. Durante nove concertos consecutivos o artista não despiu o casaco, chegando a dormir e a tomar banho com ele vestido. Nesse tempo Elton privou na mesma cama com o amigo e também cantor Freddie Mercury. O valor deste casaco é incalculável e já chegou a ser considerada a peça de moda com mais estórias acumuladas por metro quadrado. Um dos motivos da elevada avaliação é o facto de se encontrarem presentes no casaco vestígios de esperma de Freddie Mercury, parece cola mas não é. Elton John estava de joelhos e o casaco ficou todo manchado na parte dianteira. Existem relatos de que Freddie Mercury estava de pé quando o casaco ficou manchado, mas como Elton John tinha por hábito dormir com o casaco, a espelição do esperma poderá ter acontecido quando os dois dormiam abraçados. A partir desse momento Elton nunca mais vestiu o casaco, tendo oferecido o mesmo a um sem-abrigo norte-americano. Esse sem-abrigo enriqueceu quando encontrou o Peter Champalimaud Salgado num jantar de gala na casa dos príncipes Churchiles das Ilhas Fashi. Peter ofereceu-lhe 15.000 pesetas, o jovem sem-abrigo sorriu e aceitou o dinheiro.
14Casaco Marlon Brando
O charme de Marlon Brando deveu-se muito à escolha da sua indumentária. Este modelo, em particular, é a prova conclusiva do bom gosto do actor. Projetado nas extintas fábricas de confecções Pyramid Ascheit Thrisht, no sul da Dinamarca, esta peça foi usada por Marlon Brando no seu filme mais mediático Dress for undressing do não menos prestigiado realizador soviético Almerich Vaich Kagar. Peter Champalimaud Salgado viu-se grego para conseguir arrebatar esta peça dinamarquesa, chegou a penhorar a sua casa de Toronto e foi obrigado a ir morar para Beverly Hills juntamente com a sua prima afastada Gloria Estefan. Avaliado em 235.948.284 euros, este casaco possui um sistema de refrigeração exterior que permite à temperatura ambiente manter-se sempre a mesma, isto é: se estiver frio na rua, o frio irá manter-se, se estiver calor o calor manter-se-á na mesma. Para a década de 70, ano da construção deste casaco, esta funcionalidade já era considerada muito vanguardista, imaginemos então nos dias de hoje… Incrível! Marlon Brando antes de morrer pediu um último desejo a Peter, disse-lhe para ele guardar religiosamente o casaco. Esta peça esteve fechada no Mosteiro das Carmelitas Descalças até o ano passado, data em que Peter foi obrigado por motivos financeiros a mostrar ao mundo todo este seu valioso espólio. Este casaco não poderia ficar afastado desta exposição itinerante.

E a inauguração foi assim: