As últimas semanas têm sido férteis em insólitos. Ora vejamos:
– Pedro Dias, presumível autor dos crimes de Arouca, foi finalmente detido;
– Por falar em Arouca: “desentendimento” entre os presidentes do Arouca e do Sporting causa falha técnica a nível nacional e passa a estar em loop em todas as televisões portuguesas;
– Psicóloga clínica, católica, tem postura nada ética em entrevista a órgão de comunicação;
– Trump, novo presidente dos EUA;
– Linda Reis é destituída da presidência da Associação Columbófila de Bidons de Baixo, ainda estando por apurar os motivos que levaram a tal decisão;
– No que toca a recordes, temos dois, vindos directamente deste jardim plantado à beira-mar. O primeiro, do famoso Emplastro. Recorde de 77 aparições em diferentes locais e à mesma hora, em menos de 48 horas. CMTV fez cobertura do fenómeno. E ainda o recorde de Assunção Cristas, que em menos de um ano consegue ter o 34.º filho.

E se colocássemos estes indivíduos juntos? Numa cela comum, pensaram vocês. Não era má ideia, mas não! Falo antes, numa casa com todas as comodidades, mas vigiada 24 horas por dia. Seria uma terapia de grupo alternativa. Como é que ainda ninguém se lembrou de fazer algo do género?! No entiendo! E mais, estes indivíduos entravam com um segredo, o qual tinham que esconder uns dos outros. Seria uma das técnicas desta terapia. E entravam também com uma música. Eram comandados por uma voz, que seria a minha, mas nunca teriam o prazer de olhar para a minha beleza (modéstia à parte).

Pacientes e os seus segredos:

1. Pedro Dias – Fui acusado de ter roubado meio frango.
Na verdade, piloto, comeu um frango inteiro acompanhado com castanhas. A sobremesa foi kiwi com nozes. Tudo cortesia de um amigo de Arouca. Ainda dizem que é mau rapaz. Não roubou! Ofereceram-lhe! A minha mãe sempre ensinou que é falta de educação recusarmos comida quando vamos a casa de alguém. Apesar de ver os filhos e todos os que vão lá a casa como enfardadeiras.

2. Psicóloga Clínica Católica – Foi-me diagnosticada uma síndrome bastante comum a nível mundial. Síndrome do ânus invertido.
Todas as pessoas a criticarem a senhora e ela com um problema gravíssimo. O ser humano consegue ser mesquinho e cruel.

3. Trump – Não sou xenófobo.
Na verdade, Trump não é xenófobo. Simplesmente, veio do mundo da construção civil e com tanto quilómetro de fronteira entre o México e os EUA, isto é, sem dúvida, uma excelente oportunidade de fazer negócio com uma das suas empresas. No fundo, não é má pessoa, mas está a puxar a brasa à sua sardinha. Acontece o mesmo em Portugal, uns chegam a presidentes da junta e outros a ministros. E é tudo boa gente, ou então, não votávamos neles. Não andamos a comer gelados com a testa?! Ou andamos?!! Pois!

4. Emplastro – O meu pai é o Pinto da Costa e a minha mãe é a Maximiana.
Emplastro é o resultado de uma história de amor entre Pinto da Costa e Maximiana da Merdaleja. Basta olhar para o sinal da senhora, é igual, mas o do Emplastro migrou para cima. Infelizmente, esta estória terminou precocemente.

5. Assunção Cristas – Tenho um megapowersuper aparelho reprodutor.
Por isso é que ela está sempre a dar à luz. E é devido a todas estas constantes alterações hormonais que a senhora tem oscilações no seu discurso. Ora diz uma coisa, ora diz outra.

6. Linda Reis – Aquilo que baixou em mim não foi uma pomba gira. Foi Josel.
Pessoas que nunca confundiram estes dois fenómenos, que atirem a primeira pedra.

7. Presidente do Sporting – Deixei de fumar.
Bruno de Carvalho deixou de fumar. Não fuma tabaco, nem cigarro electrónico, nem escalracho, nem barbas de milho. É preciso ter muita força de vontade e está de parabéns por ser tão perseverante.

8. Presidente do Arouca – Tenho o vício de oferecer frangos a todos os amigos.
Este presidente não é má rês. A prova disso é que oferece frangos a todos os amigos. Indiscutivelmente, generoso. No entanto, ficou ofendido com o Bruno, pois este recusou um (é que ele anda a fazer uma dieta no Talon). Ainda por cima era frango com castanhas.

Merda, esqueci-me de falar na Web Summit. Bem, meus pombos do asfalto, um chi e ainda, para todos os que jamais saíram de si, pessoas sãs e centradas, isto: