Fotogalerias

Retratos no minuto e a preto e branco, todas as quintas-feiras no Covil da Preguiça, por Ricardo Graça.

(Publicado a 23 Julho 2015)

Giró Bairro é um dos projectos da nossa amiga InPulsar, e por acaso também é bom. Através de máquinas fotográficas, computadores, conversas, atenção, puzzles e outras coisas, como o amor, encaminham as crianças residentes num bairro problemático em direcção a um futuro melhor. Com o nosso fotógrafo, Ricardo Graça, resultou.

(Publicado a 28 Maio 2015)

Quando o plástico é mais intenso do que carne e osso, isso é Maria Alice. Uma jovem emancipada e destemida que vive a vida como se não houvesse nem amanhã nem babygrows para nenucos. Pelo olhar da sua tutora, Ana Moderno.

(Publicado a 30 Abril 2015)

Duas semanas e duas mil milhas depois, já se leva muito mais coisas na memória do que alguma vez caberiam no porta-bagagens do Ford Mustang vermelho que nos passaram para as mãos a troco de um punhado de dólares.

E se essa música do Gainsbourg é a primeira da banda sonora que começa imediatamente a tocar dentro da cabeça (a segunda é o “Bonnie & Clyde”, claro), o som que mais se ouviu dentro do carro foi mesmo Legendary Tiger Man, que, diga-se de passagem, vai lindamente com o Death Valley em fundo.

O balanço deste tu-cá-tu-lá com o asfalto é um mix com algum jeito entre deserto inóspito e lagos rodeados de montanhas com neve – no mesmo dia; arribas sobre o Pacífico (de deixar qualquer pulmão em apneia durante 7,3 segundos) e praias com ondas tipo carneirinhos; cidades gigantes e povoações minúsculas; comida má e comida péssima (mas fruta muito boa – obrigada, Marta!); tequila festiva e cerveja mortífera; árvores enormes e estradas maiores ainda.

Na Califórnia há de tudo, como na farmácia. Aqui fica uma pequena amostra de como foi conjugar o verbo bigsurizar em várias pessoas: eu, tu e nós com elas.

Texto de Catarina Sacramento, fotografias de Catarina Sacramento e João Menezes

(Publicado a 23 Abril 2015)

Mulheres em fundo preto, arranhadas, meio despidas, por vezes melancólicas por vezes arreliadas, e por vezes com um naperon à volta da cabeça. São assim as imagens da Carolina Sepúlveda.

(Publicado a 16 Abril 2015)

Malha ou Chinquilho? Há muito que o mundo vivia com esta questão estruturante na cabeça e como, ainda por cima, ouvimos dizer que é um desporto onde se bebem uns copos valentes, decidimos juntar o útil ao agradável e partir em busca de respostas. Fotos de Ricardo Graça.

(Publicado a 9 Abril 2015)

Qualquer coisa que esteja vagamente relacionada com o vinho deve ser preservada, acarinhada e cuidada. Quando falamos de armazéns vinícolas abandonados ao abandono é como se nos entalassem uma garrafa… e não é pelo gargalo. Fotos de Rui Miguel Pedrosa.

(Publicado a 26 Março 2015)

Árvores, porque não há mais nada. Fotografadas à noite, sem cuidado, quase sempre do mesmo sitio e com a ajuda de luzes de tungsténio mas que não se nota porque estão a preto e branco. Por Ricardo Graça

(Publicado a 5 Março 2015)

Uma dança para trocar os passos ao preconceito, com a Escola Clara Leão e as crianças ciganas do bairro da Cova das Faias. O espectáculo final do projecto Daqui P’ra Cá, captado por Ricardo Graça, reuniu-os em palco uma última vez, ao fim de um ano a trabalhar em conjunto. Não é o fim, mas um princípio. A iniciativa da associação Inpulsar, que utiliza as artes como meio de integração social, foi financiada pela Fundação Calouste Gulbenkian.

(Publicado a 19 Fevereiro 2015)

Havana, como nunca mais a vamos ver, através da objectiva e das palavras de João Ferreira: “O ano de 2014 terminou com o anúncio do início do fim do embargo dos Estados Unidos a Cuba, que dura desde 1962. Esta narrativa fotográfica em registo pseudo-documental foi traçada no ano em que se assinalavam cinco décadas desde o início desse embargo a este país comunista, então já reinado por Raúl Castro, irmão de Fidel. Deambulando nas gastas ruas de Havana, conseguimos sentir a vibração deste povo caloroso. Facilmente nos cruzamos com um parque automóvel vintage, com alguém a cantar, a dançar ou a jogar futebol na rua. Somos convidados para um almoço num restaurante ilegal, na sala de jantar da casa do vizinho; não falta a lagosta, nem o mojito! Uma autêntica viagem no tempo, que pelo que parece, tem os dias contados!”

(Publicado a 29 Janeiro 2015)